TOP 7 ferramentas de gestão indispensáveis para operadoras de saúde

ferramentas de gestão
6 minutos para ler

Você sabe quais são as ferramentas de gestão indispensáveis para as operadoras de saúde? Um plano de saúde enfrenta diversos desafios para conseguir crescer e se colocar a frente da concorrência. Os altos custos hospitalares, a judicialização, grande concorrência no setor e as fraudes fazem com que uma gestão eficiente seja necessária.

Isso só é possível quando a instituição sabe qual é a importância da tecnologia para a gestão da saúde e utiliza as ferramentas mais essenciais para isso. Neste post, você verá como é possível otimizar os recursos e conseguir melhores resultados para a sua instituição.

Boa leitura!

A importância da tecnologia para a saúde

A tecnologia permite uma melhor gestão para os mais variados tipos de empresa. Com a saúde não é diferente. Seja para as clínicas e hospitais, seja para os planos de saúde, é possível utilizada para gerenciar melhor os recursos e proporcionar maior bem-estar para os usuários.

Sempre que alguém utiliza algum recurso do plano, dados são gerados, não é mesmo? Entretanto, até pouco tempo, pouco era feito com essas informações. Com os recursos tecnológicos mais modernos, entretanto, é possível prever quais são os usuários que mais necessitam de acompanhamento e educação para melhorar seus hábitos.

Para isso, é possível utilizar diversas ferramentas para melhorar a gestão do plano. Confira agora quais são as principais.

Conheça as ferramentas indispensáveis

Veja agora o que você deve considerar para crescer e otimizar recursos.

1. Business Intelligence (BI)

Receber análise e recomendações de acordo com as informações disponíveis sobre a população, é possível a partir da utilização de tecnologia aplicada à Inteligência em Saúde. Com a seleção de uma base de dados, é possível descobrir o perfil de risco e desenvolver as melhores estratégias para conter os custos.

Algumas das variáveis que devem ser consideradas são: as características próprias do negócio, os agrupamentos, afastados, em tratamento, as contas médicas, cadastros em planos de saúde e outros sistemas utilizados.

Com a adoção, é esperado que a população tenha: maior estabilidade e evolução clínica; mais informações sobre saúde; gestão de internações eficiente; triagem de alta complexidade; mudança de comportamento.

Dessa forma, problemas comuns como doenças da coluna, ansiedade, pânico e depressão podem ser diminuídos ou tratados com maior eficiência. Além disso, as doenças respiratórias e cardiovasculares, hipertensão e diabetes mellitus podem ser controladas para conseguir maior bem-estar populacional.

2. Central Clínica

Ferramenta que possibilita aos usuários ter um atendimento 24 horas por dia sobre dúvidas de saúde e possíveis intercorrências. Com uma central que pode ser acessada a partir de um aplicativo, telefone ou portal, enfermeiros com especialidade em urgência acompanham a demanda do usuário, buscando a melhor solução para o problema ou encaminhando para o recurso mais adequado para o momento.

Dessa forma, evita-se que os recursos em saúde sem utilizados de forma inadequada, revertendo as intercorrências sem a necessidade de que o usuário se encaminhe para o pronto atendimento. 

3. Portal e aplicativo

Com essa tecnologia, é possível mapear o perfil de risco do usuário para fornecer as informações mais relevantes em saúde, além de proporcionar uma equipe multiprofissional para retirar suas dúvidas a partir de um chat. Dessa forma, é possível que o plano de saúde consiga trazer maior efetividade às ações de saúde.

Com um conteúdo personalizado e a possibilidade de entrar em contato com especialistas, haverá menor necessidade de utilização dos recursos médicos, bem como os encaminhamentos desnecessários ao pronto-socorro.

4. Gerenciamento de Doentes Crônicos

Dentre a população, os que mais necessitam controlar os hábitos saudáveis são os doentes crônicos. Quando se utiliza ferramentas para estimular tais hábitos, fazer um plano de consultas e exames preventivos, a tendência é que o bem-estar seja restaurado na vida dessas pessoas.

Por isso, o gerenciamento de doentes crônicos é uma ferramenta que possibilita a integração dos recursos necessários para que a população crônica seja acompanhada e engajada. Assim, poderão acompanhar a estabilização de suas doenças, fazendo com que os recursos de saúde sejam utilizados de forma racional. Ou seja, haverá menor frequência na utilização de Pronto Socorro e Internações.

Para que a ferramenta funcione de maneira eficaz, há o apoio de uma equipe de especialistas para atuar em demandas da população, proporcionando suporte para tirar dúvidas 24 horas.

5. Gestão de Hiperutilizadores

Identificar quais são os motivos que levam um grupo a utilizar em demasia os recursos assistenciais é uma ferramenta importante para conscientizar e direcionar os usuários a um uso racional da rede disponível. Com isso, poderá se identificar casos com perfil de risco e com tendências ao alto custo.

Com a adesão ao autocontrole em saúde dessas pessoas, haverá redução na utilização sem necessidade do plano de saúde, bem como no número de eventos que gerem alto custo.

6. Gestão de Internados

Um dos grandes desafios para os planos de saúde é conseguir fazer uma gestão eficiente dos internados. Com essa ferramenta, é possível acompanhar todas as fases de internação, possibilitando uma atuação para que os pacientes possam se recuperar de maneira mais segura e rápida. Além disso, é possível atuar de forma proativa para evitar reinternações.

Com isso, espera-se um menor risco em complicações e diminuição dos gastos depois da alta do paciente, bem como a redução da taxa de reinternação.

7. Gestão de Gestantes

Um dos principais motivos que fazem com que as gestantes tenham complicações e precisem de procedimentos de maior custo é a falta de adesão ao pré-natal. Além disso, dúvidas relacionadas com o período gestacional e com os primeiros cuidados com o bebê podem fazer com que a mulher necessite utilizar os recursos do plano de saúde.

Com a ferramenta, é possível identificar previamente os casos de risco que precisem de recursos especiais. Além disso, uma equipe disponível 24 horas por dia está pronta para retirar as dúvidas mais comuns. Com isso, o plano de saúde deixa de ser utilizado desnecessariamente, bem como os riscos da gravidez são reduzidos.

Agora que você sabe como as ferramentas de gestão são importantes para que o plano de saúde consiga crescer de forma sustentável, pensando sempre no bem-estar dos usuários, avalie a possibilidade de adotar o máximo de produtos possíveis para conseguir melhores resultados.

Aproveite e confira como a tecnologia se integra à saúde para vencer obstáculos e evoluir no mercado. Esperamos por você!

Você também pode gostar

Deixe uma resposta

-